A operação contra milícia de Vargem Grande e Pequena, mira PMs

Atualizado: Ago 3

São 16 mandados de prisão e 51 de busca e apreensão


A operação Porto Firme, contra envolvidos em uma milícia de Vargem Grande, Vargem Pequena e adjacências, na Zona Oeste do Rio. Dentre os alvos estão dois PMs, suspeitos de liderarem o grupo paramilitar é feita pela Delegacia de Homicídios da Capital e o Ministério Público estadual.


Ao todo, são 16 mandados de prisão e 51 de busca e apreensão, que estão sendo cumpridos em vários endereços do estado. Os mandados foram expedidos pela 1ª Vara Criminal Especializada da Capital.


Até o momento, cinco pessoas foram presas, dentre elas um dos policiais militares investigados, o cabo Fernando Mendes Alves, conhecido como Biro. Ele, que é lotado no 31º BPM (Recreio dos Bandeirantes), mas desde julho do ano passado trabalha no Centro Presente, foi capturado em Vargem Pequena. O outro PM alvo é o oficial Leonardo Magalhães Gomes da Silva, o Capitão Léo, que continua sendo procurado. Leonardo deixou de ser tenente e se tornou capitão da PM em agoto de 2014 "pelo critério de antiguidade".


Uma das intensões da milícia era assassinar um iventigador da Polícia Civil, que está investigando os milicianos.


O Ministério Público disse que o Capitão Léo é o líder da milícia e Biro o número 2, da organização criminosa.  Escutas telefônicas, autorizadas pela justiça, mostraram que Biro é responsável por garantir a proteção dos comparsas, para que eles consigam praticar os crimes do bando, sem que fossem incomodados, inclusive intervindo em ações da Polícia Civil


 
Navegue pela web
logo real certo.png
  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Grey Instagram Ícone