google-site-verification=lbjueM2tO1RF8DU_YVArfBjlwLINtJ5N-0i3bpcVFVo
top of page
Post: Blog2_Post

Alcione e Maria Rita se apresentam no Espaço Hall !

Na semana do Dia Internacional da Mulher, o Espaço Hall reúne duas divas da música popular brasileira, para uma noite de muita musica



Estamos falando da "Marrom" Alcione e da cantora Maria Rita em duas grandes apresentações. O evento acontece no dia 10 de março (6ª feira), a partir das 21:30hs.


Ao completar 50 anos de uma vitoriosa trajetória em 2022, Alcione prepara uma série de eventos comemorativos com o propósito, exclusivo, de celebrar esse antológico meio século de dedicação e amor à Música. Além das turnês, pelo Brasil e exterior, que serão um revival de sua carreira, a artista gravou um projeto audiovisual no Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com seus principais hits.

Para resumir uma trajetória tão longeva vale reafirmar que os domínios da Marrom extrapolam fronteiras. A intérprete já se apresentou pelos cinco continentes, em mais de 36 países, nos principais festivais e casas de espetáculos internacionais. Portugal, Espanha, Suíça, Alemanha, Israel, Japão, Angola, França, Moçambique, Inglaterra, Itália, Argentina, Chile, Uruguai, e até mesmo na antiga União Soviética. E isso antes mesmo da Perestroika, da abertura, por países que são hoje a Lituânia, Estônia, Ucrânia e Rússia.



A maranhense, criada ouvindo os grandes cantores da época, nacionais e internacionais, sempre transitou entre os variados gêneros e estilos musicais: samba, jazz, bolero, reggae, canção romântica. E apesar de ser tratada como sambista, adora gravar e interpretar o que lhe convém e emociona. E a galeria de hits é imensurável: "Não Deixe o Samba Morrer" (uma espécie de hino para os sambistas), "O Surdo", "Sufoco", "Nem Morta", "Você Me Vira a Cabeça", "A Loba", "Meu Ébano", "Mulher Ideal", "Garoto Maroto", "Estranha Loucura", dentre as dezenas de sucessos.


Desde que lançou o álbum "Samba Meu", em 2003, Maria Rita transita com imensa desenvoltura no universo do samba e hoje está consolidada como uma das grandes artistas do gênero. A partir desta ligação afetiva, a cantora criou o "Samba da Maria", projeto que vem percorrendo diversas cidades do Brasil e do mundo desde 2015. O repertório traz sucessos de sua discografia, como "Tá Perdoado", "Maltratar Não é Direito" e "Num Corpo Só", além de clássicos imortalizados nas vozes de grandes nomes da música brasileira, como Beth Carvalho ("Vou Festejar"), Jorge Aragão ("Coisa de Pele", "Lucidez"), Clara Nunes ("Juízo Final"), Gonzaguinha ("É", "O Homem Falou"), Elis Regina ("O Bêbado e a Equilibrista") e Arlindo Cruz ("O Meu Lugar"), entre outros. Maria Rita é acompanhada por Leandro Pereira (violão 7 cordas), Fred Camacho (banjo e cavaquinho), Vinícius Feijão (pandeiro), Jorge Quininho (percussão) e Adilson Didão (percussão).


Comments


bottom of page