CLIQUE

Covid-19. OMS defende que vacina não deve ser obrigatória

Especialistas da Organização Mundial de Saúde (OMS) defenderam esta segunda-feira a não obrigatoriedade das vacinas contra a covid-19, preferindo a persuasão e o diálogo com as populações.


Numa conferência de imprensa 'online' a partir da sede da organização, em Genebra, o caráter facultativo das futuras vacinas foi defendido pelo diretor para as emergências em saúde, Michael Ryan, e pela diretora do programa de vacinas da organização, Kate O´Brien.


"Não creio que a obrigatoriedade seja o caminho a seguir", disse a responsável aos jornalistas, tendo Michael Ryan acrescentado que os benefícios das vacinas precisam de ser mais bem explicados, em vez de tornar a vacinação obrigatória.


Kate O`Brien, que defendeu a segurança das vacinas atualmente em processo de aprovação, notou que a experiência tem mostrado que quando os países quiseram tornar certas vacinas obrigatórias não tiveram o efeito pretendido, mas alertou que nalgumas situações e países a administração da vacina deve ser "fortemente recomendada".



"Precisamos persuadir, dialogar com as pessoas, e os que têm trabalhado em saúde pública preferem evitar esse tipo de medidas", adiantou a propósito Michael Ryan, acrescentando: "Estamos preparados para apresentar os dados, os benefícios decorrentes da vacina, para que as pessoas tomem as suas decisões".


O responsável adiantou que quando as vacinas estiverem disponíveis para todos, o que poderá demorar até um ano, já que no início de 2021 haverá poucas e serão inicialmente para grupos de risco, muitas pessoas irão perceber que a vacinação será um "ato de responsabilidade".


O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, ainda a propósito das vacinas, pediu na mesma conferência de imprensa que os países deem prioridade aos mais necessitados, como os profissionais de saúde e os mais idosos.


"À medida que a oferta [de vacinas] aumenta, os próximos grupos incluiriam aqueles que têm maior risco de doença grave" devido a outras patologias associadas, e "os grupos marginalizados com maior risco", disse o diretor-geral da OMS.



Tedros Adhanom Ghebreyesus salientou também a importância dos testes serológicos, porque é importante saber onde o vírus esteve e quantas pessoas podem ter sido infetadas sem apresentar sintomas, e acrescentou que testes feitos pelo mundo inteiro indicam que "a população mundial continua suscetível à infeção com o vírus covid-19".


"Os estudos serológicos podem ajudar-nos a compreender quanto tempo dura a imunidade à infeção natural, o que também nos pode ajudar a compreender quanto tempo pode durar a imunidade à vacinação", disse o responsável.


Para evitar que os países mais ricos comprem todas as doses de vacinas que nos primeiros meses estarão disponíveis apenas em quantidades limitadas, a OMS criou um mecanismo chamado ACT-Accelerator, para assegurar a distribuição equitativa de vacinas e outros tratamentos possíveis.

 
ÃNUNCIO DESIGN.jpg
ÃNUNCIO DESIGN.jpg
Navegue pela web
faceVERDE redondo PNG.png
whatsapp novo3.png
logo real certo.png

Siga-nos no FACEBOOK e receba as notícias em tempo real no Feed do seu facebook.

logo real certo.png

EXPEDIENTE

REVISTA REAL NOTÍCIAS

A Revista Real Notícias foi fundada em primeiro de junho de 2020,.

O veículo é completamente digital, com suporte nas redes  sociais. Atuação nos canais: Facebook - Twitter - Instagram e You tube.

Direto Presidente: Carlos de Mello 

Vice Presidente: Damasceno Henrique

Jornalista Responsável: Carlos Hemrique

Colaboradoes:

Kelly Barros - Colunista de Moda

Cmte. Diniz - Notícias da Caserna

REVISTA REAL NOTÍCIAS - AV. HENRIQUE LOTTE , 50 - BARRA DA TIJUCA - RJ - BRASIL - SITE DESENVOLVIDO POR DESIGN GRÁFICO REAL - 00029291712