Buscar

Descoberta proteína que impede evolução do câncer de próstata por cientistas americanos


Cientistas descobriram uma proteína capaz de impedir a evolução do câncer de próstata. Olha que notícia boa em pleno Novembro Azul, campanha abraçada este ano pela Real Notícias para estimular homens a procurarem o médico urologista e fazerem o exame de prevenção.


O novo estudo foi feito na Escola de Medicina da Universidade de Washington e identificou uma molécula de RNA que não deixa os tumores do câncer de próstata crescerem.


Os cientistas descobriram que o câncer de próstata desenvolve maneiras de desligar essa molécula, a proteína de RNA, para permitir seu crescimento. O novo tratamento restaura o RNA e abre caminho para novos tratamentos.


O estudo foi publicado na Cancer Research, da American Association for Cancer Research.


Como

A proteína chave que impulsiona o crescimento do tumor da próstata, o receptor de andrógeno, se liga à testosterona e estimula o crescimento do câncer.


Estudando o trecho de DNA que codifica o receptor de andrógeno, os pesquisadores descobriram que uma seção da molécula de DNA próxima ao receptor de andrógeno produzia uma molécula chamada RNA longo não codificador.


Cerca de um em cada oito homens terá câncer de próstata – o que o torna o câncer masculino mais comum. A doença afeta principalmente pessoas com mais de 50 anos.



Resistência a terapias


Quando os cientistas implantaram em ratos amostras de tumor de próstata humano, o novo tratamento restaurou o chamado RNA longo, que se mostrou eficiente para aqueles que tem resistência às terapias hormonais.


“As drogas que temos para tratar o câncer de próstata são eficazes inicialmente, mas a maioria dos pacientes começa a desenvolver resistência e as drogas geralmente param de funcionar depois de um ou dois anos”, disse o autor sênior Nupam P. Mahajan, PhD, professor de cirurgia.


“Nesse ponto, as opções disponíveis para esses pacientes são muito limitadas. Estamos interessados ​​em desenvolver novas terapias para pacientes que desenvolveram resistência – e acreditamos que a molécula de RNA que identificamos pode levar a uma abordagem eficaz ”.


Supressor do tumor


Eles descobriram que este longo RNA não codificador desempenha um papel fundamental na regulação do receptor de andrógeno e vice-versa.



Tumores reduziram


Os pesquisadores mostraram que a restauração da expressão do NXTAR causou o encolhimento dos tumores. Eles também mostraram que não precisavam de todo o RNA não codificador longo para atingir esse efeito.


Uma pequena seção-chave da molécula NXTAR é suficiente para desligar o receptor de andrógeno.

“Esperamos desenvolver este medicamento (R) -9b e o NXTAR em novas terapias para pacientes com câncer de próstata que desenvolveram resistência aos tratamentos de linha de frente”, disse Mahajan.

“Uma estratégia possível é encapsular a droga de molécula pequena e a peça-chave do NXTAR em nanopartículas, talvez na mesma nanopartícula, e desligar o receptor de andrógeno de duas maneiras diferentes”.


Patente à vista

O inibidor (R) -9b foi licenciado para uma empresa iniciante de biotecnologia chamada TechnoGenesys.

Mahajan e o co-autor Kiran Mahajan são co-fundadores dessa empresa e já solicitaram a patente.


Vem conhecer mais sobre a Campanha do Novembro Azul que a REAL NOTÍCIAS apoia e divulga.


Boas Notícias

33 visualizações
 

Mais Notícias