anuncio cabeçario site.png
Buscar

Detentas acusam Monique, mãe de Henry, de praticar "atos libidinosos", com seu advogado

Monique Medeiros — a mãe do menino Henry — está presa no Instituto Penal Oscar Stevenson, no estado do Rio de Janeiro; denúncia foi feita por outras detentas



A Secretaria de Administração Penitenciária do estado do Rio de Janeiro (Seap-RJ) abriu um procedimento para investigar relatos de que Monique Medeiros — mãe do menino Henry — realizou “atos libidinosos” dentro da cadeia.

A mulher está presa no Instituto Penal Oscar Stevenson, no Rio.


As denúncias foram realizadas pelas próprias detentas que dividem cela com Monique. De acordo com as acusações, a própria mulher compartilhou os atos com as outras presas.



Seis detentas contaram um episódio em que o suposto advogado teria se masturbado enquanto a mulher mostrava os seios. O ato teria ocorrido no parlatório da cadeia, uma espécie de sala em que ocorrem visitas.


Vale pontuar que nos documentos, as detentas não especificaram quando os atos ocorreram e nem quem era o advogado em questão.


Monique, deve ser ouvida pela Comissão Técnica de Classificação (CTC) da secretaria. Em caso de punição, o índice de comportamento da mulher pode ser afetado, e em consequência, as avaliações para progressão do regime prisional.



A Seap ainda informou que a Ordem dos Advogados do Brasil (OAB-RJ) será notificada sobre o advogado envolvido nas denúncias.