Gêmeas passam em Medicina para mais de 30 faculdades estudando online

Ser aprovado em uma universidade para Medicina já é um super desafio! Só que duas irmãs gêmeas baianas foram muito além disso! Samyra e Sarah Aramuni conseguiram aprovações no curso em mais de 30 faculdades públicas do Brasil.


As jovens de 19 anos são estudantes de uma escola pública de Teixeira de Freitas, no sul da Bahia.

A vitória das duas ganha um gostinho ainda mais especial quando sabemos que elas estudaram 100% online e fizeram disso um estímulo.


“Ainda não caiu a ficha, mas é realmente muito gratificante porque só a gente sabe tudo que estudou, levantar todos os dias para estudar. A gente estava 100% online então ninguém ficava no nosso pé e a gente estudava”, relatou Samyra.



Rotina de estudos


Samyra e Sarah concluíram o ensino médio no ano passado no Centro Territorial Estadual de Educação Profissional do Extremo Sul (CETEP), em Teixeira de Freitas. Na primeira tentativa do Enem, o resultado não foi tão bom.


“Foi muito difícil, foi o ano em que o Enem aconteceu em janeiro e o Sisu abriu em abril, então as universidades tiveram pouquíssimas vagas e notas de corte absurdas”, contou Samyra.


Elas então criaram uma rotina de estudo de mais de 10 horas por dia. Afinal, a realização do sonho de ser médica tinha que se concretizar através de uma faculdade pública.

“Um curso com 50% desconto era R$ 5 mil a mensalidade, então eu não tinha outra forma”, disse Sarah.





Ótimo desempenho


As gêmeas usaram a nota do Enem para se candidatarem pelo Sisu em todas as universidades.


Elas contam que tinha dúvida se a aprovação viria dessa vez, mas a mãe das duas, Flavia, já tinha certeza de que elas passariam devido a dedicação que tiveram com os estudos.


“Não tinha dúvidas nenhuma porque quando a gente quer, a gente alcança. Elas nasceram com um minuto de diferença e passaram [em medicina] por um centésimo de diferença, em segundo e terceiro lugar. Lembrei disso na hora e não tem como a gente não lembrar”, conta a mãe.


Samyra e Sarah Aramuni decidiram pela Universidade Federal do Rio de Janeiro. A primeira passou em segundo e a outra em terceiro lugar.


Agora elas se preparam para mudar de cidade e partir para a nova fase da vida. “Vai ser um momento que vai trazer muito ensinamento para elas e muitas alegrias para nós”, comemorou o pai das jovens, Joaquim José Aramuni.

7 visualizações