top of page
Post: Blog2_Post
anuncio cabeçario site.png
Buscar

Nasa descobre planeta do tamanho da Terra que pode ser habitável e ter água



Um novo planeta foi descoberto por satélite da Nasa. O curioso é que ele tem quase o tamanho da Terra e fica numa “zona habitável”, informou a Agência Espacial Norte-Americana. Apelidado de TOI 700 e, o exoplaneta é o quarto descoberto no sistema TOI 700, a 100 anos-luz de distância.

TOI 700 é a pequena e fria estrela anã no centro do sistema, lar também dos planetas recentemente descobertos TOI 700 b, c e d.


Mas apenas dois dos quatro planetas, d e e, caem na zona habitável de “cachinhos dourados”, onde a distância entre o planeta e a estrela está em um ponto que pode sustentar água líquida – o que significa que as condições podem ser adequadas para a vida.

A descoberta foi apresentada nesta terça, 11, durante a 241ª reunião da Sociedade Astronômica Americana, em Seattle, em Washington. “Este é um dos poucos sistemas com vários planetas pequenos e de zona habitável que conhecemos”, disse Emily Gilbert, pós-doutoranda do Laboratório de Propulsão a Jato da NASA no sul da Califórnia, que liderou o trabalho, em um comunicado.

Um artigo sobre o novo planeta será publicado no periódico The Astrophysical Journal Letters.

Pode ter água O planeta descoberto fica a 100 anos-luz de distância da Terra, na constelação Dorado. Ele foi descoberto por cientistas usando dados do Transiting Exoplanet Survey Satellite (TESS), da Nasa. Os pesquisadores acreditam que se trata de um planeta rochoso.

Sua órbita leva 37 dias, o que significa que está em zona habitável conservadora, faixa onde se supõe que a água líquida poderia existir durante a maior parte da vida do planeta.

Já o mundo mais interno, TOI 700 b, tem cerca de 90% do tamanho da Terra e orbita a estrela a cada 10 dias. Por sua vez, TOI 700 c é 2,5 vezes maior que a Terra e completa uma órbita a cada 16 dias. “Este é um dos poucos sistemas com vários planetas pequenos e de zona habitável que conhecemos”, disse Emily Gilbert, pós-doutoranda do Laboratório de Propulsão a Jato da Nasa (JPL), que liderou o trabalho, em comunicado.

O que é o TESS O satélite TESS monitora grandes áreas do céu por aproximadamente 27 dias por vez. “Esses longos olhares permitem que o satélite rastreie as mudanças no brilho estelar causadas por um planeta passando na frente de sua estrela de nossa perspectiva, um evento chamado de trânsito”, segundo a Nasa.

A missão usou essa estratégia para observar o céu do Hemisfério Sul a partir de 2018, antes de se voltar para o céu do norte. Mas os cientistas precisaram de um ano adicional de observações do TESS para descobrir o TOI 700 e.

“Se a estrela estivesse um pouco mais próxima ou o planeta um pouco maior, poderíamos ter encontrado o TOI 700 e no primeiro ano de dados do TESS”, explicou Ben Hord, pesquisador graduado no Goddard Space Flight Center da Nasa.

“Isso torna o sistema TOI 700 uma perspectiva interessante para acompanhamento adicional. O planeta e é cerca de 10% menor que o planeta d, então o sistema também mostra como as observações adicionais do TESS nos ajudam a encontrar mundos cada vez menores”, explicou Gilbert.

bottom of page