Buscar

Passe sanitário já é exigido em restaurantes e comboios em França

Pessoas que estejam sem passe sanitário em lugares onde este é exigido incorrem no pagamento de uma multa de 135 euros



A França passou a exigir, a partir desta segunda-feira, um passe sanitário para se entrar em restaurantes, cafés e viajar pelo país.


A medida faz parte de um plano do governo para encorajar mais pessoas a levar a vacina contra a covid-19 e reduzir o número de novos casos de infeção, numa altura em que a contagiosa variante Delta é responsável pela maioria dos casos no país.


Neste momento, mais de 36 milhões de pessoas, ou seja, mais de 54% da população de França tem a vacinação completa.


O passe sanitário é emitido a pessoas que estejam vacinadas contra a covid-19, tenham um teste negativo recente ou apresentem prova recente de recuperação da doença, e a sua exigência aplica-se também aos turistas que visitem o país.


Na cidade meridional de Marselha, vários proprietários de restaurantes decidiram não verificar se os clientes têm ou não esse passe, constatou hoje um repórter da agência noticiosa norte-americana Associated Press (AP), porque consideram que não lhes cabe fazer cumprir tal medida.

Pessoas que estejam sem passe sanitário em lugares onde este é exigido incorrem no pagamento de uma multa de 135 euros, mas o Governo francês indicou que na primeira semana de vigência da medida, os controlos policiais não levarão a sanções por incumprimento, sendo, em vez disso, uma ocasião para explicar a nova lei.


Nos hospitais, é exigido aos visitantes e aos doentes que tenham consultas marcadas que tenham o passe. As exceções são para aqueles que necessitarem de cuidados de emergência nas alas de urgência.


O passe sanitário é também necessário para viajar em comboios de alta velocidade, intercidades e noturnos, que transportam mais de 400.000 passageiros por dia em França, indicou hoje o ministro dos Transportes, Jean-Baptiste Djebbari. Será também exigido em viagens de longo curso de avião ou autocarro. "Vamos efetuar verificações em massa", disse Djabbari. São aceites documentos em papel ou digitais.


Entretanto, o clube de futebol Paris Saint-Germain (PSG) será autorizado a encher o estádio na capacidade máxima para o seu primeiro jogo em casa da temporada, contra o Estrasburgo, da Liga Francesa, no próximo sábado.


O PSG indicou que a câmara de Paris aprovou a presença no estádio Parc des Princes de 49.700 adeptos, que deverão exibir os respetivos passes sanitários.


Segundo as mais recentes sondagens, a maioria dos cidadãos franceses apoia o passe sanitário.



Imediatamente depois de o Presidente francês, Emmanuel Macron, ter anunciado a medida, a 12 de julho, mais de um milhão de pessoas em França agendou a vacinação em menos de um dia.

Desde então, pelo menos sete milhões de pessoas receberam a primeira dose da vacina.


No entanto, a medida desencadeou forte oposição de algumas pessoas que afirmam que esta compromete as suas liberdades limitando-lhes a circulação e as atividades diárias fora de casa.

No sábado passado, milhares de manifestantes desfilaram por Paris e outras cidades do país pela quarta semana consecutiva para protestar contra a medida.


O passe sanitário já esteve em vigor no último mês para entrar em espaços culturais e recreativos, incluindo cinemas, salas de concertos, recintos desportivos e parques temáticos.


54 visualizações
 

Mais Notícias