google-site-verification=lbjueM2tO1RF8DU_YVArfBjlwLINtJ5N-0i3bpcVFVo
top of page
Post: Blog2_Post

Praia dos Amores chama atenção por ter água que varia entre poluída e caribenha, na Barra

Por ser um local de saída de canal poluído, os dias de água límpida

são raros.


Localizada em um bairro repleto de praias de tirar o fôlego e paisagens naturais inesquecíveis, a Praia dos Amores fica ao final da Barra da Tijuca, próxima ao Elevado do Joá. A região apresenta uma dualidade destoante por aparecer com águas cristalinas quando, na maior parte dos dias, está poluída.


Uma das menores praias do Rio tem feito sucesso nas redes sociais nos últimos anos por oferecer um clima intimista e mar com águas rasas e bem claras, além de ser cercada por casas, prédios mais baixos e restaurantes. A região também é protegida do mar aberto, o que favorece a tranquilidade das águas e atrai praticantes de stand up paddle, caiaque e jet ski, entre outros esportes aquáticos.



Maré desfavorável e poluição


Apesar da belíssima vista, é recomendável que o banhista escolha bem os dias de visita à Praia dos Amores para que não vá quando a maré está desfavorável. Quando essa é a situação, a água traz a poluição do esgoto mal resolvido do Complexo Lagunar da Barra. A praia de ‘mar caribenho’ é localizada na foz da Lagoa da Tijuca, ao lado do Quebra-Mar, debaixo da Ponte da Joatinga.


De acordo com o oceanógrafo David Zee, entrevistado pelo g1, o visitante precisa observar o movimento da maré para encontrar a praia limpa e com uma quantidade de água suficiente para o lazer. “A Praia dos Amores é interessante para o lazer, só que ali é saída do Complexo Lagunar da Barra. E todo mundo sabe que o complexo recebe toda sorte de poluição dos esgotos que as concessionárias não conseguem captar das regiões da Baixada de Jacarepaguá, Anil, entre outras”, diz Zee.


Atenção nos movimentos da lua


O especialista também explica que a lua influencia bastante no movimento das marés. “O ideal é ir nas luas nova e cheia, na maré de sizígia (quando a superfície do oceano sobe e desce mais que o normal). Nessa situação, quando a maré está baixa, ela vaza com força, quando está na cheia, entra com força. Se você for em um dia de lua cheia e lua nova procure ver o horário de maré cheia. E, nesses horários que o mar entra com muita força, a maré vai estar muito limpa, muito bacana pra curtir. Quando estiver baixando, vai estar toda suja”, informa.


Além disso, David Zee exemplifica que, devido à maré do Rio de Janeiro mudar de 12 em 12 horas, se o banhista perceber que a máxima da maré acontece de manhã, às 8 horas, deve aproveitar aquele horário para visitar a Praia dos Amores.


Faixa de areia pode sumir


Os moradores e visitantes recorrentes observam que, quando a maré está completamente cheia, a faixa de areia pode desaparecer. Também é crucial que os banhistas se atentem para avisos de correnteza na região, assim como observar a incidência de chuvas.


“Em épocas de quadradura (luas de quarto minguante e crescente), você fica mais à mercê da chuva. Se choveu muito nos dias anteriores, é bom tomar cuidado porque a chuva leva uma quantidade de sujeira. Não é bom ir depois de chuva forte”, afirma.


Informe-se


Existem vários sites que mostram a incidência das marés, entre eles, o da marinha, intitulado “Tábuas de Maré”.

Para se informar sobre a balneabilidade das praias do Rio, também é recomendável buscar no site do Instituto Estadual do Ambiente (Inea), no qual reúne informações sobre praias de todas as regiões do estado. Para a pesquisa, o ponto de coleta mais próximo da Praia dos Amores é o Quebra-Mar.

Como chegar


Para visitantes que desejam ver a Praia dos Amores com os próprios olhos, o metrô e linhas de ônibus estão à disposição, principalmente após a chegada da estação de metrô do Jardim Oceânico, em 2016, que facilitou ainda mais o deslocamento dos cidadãos de outras regiões até a Barra da Tijuca.


O Quebra-Mar e a Praia dos Amores ficam a uma distância de aproximadamente 25 minutos a pé da estação. Se a caminhada parecer longa, também é possível pegar um táxi, carro de aplicativo ou ônibus a partir do metrô. As linhas que passam no ponto do Jardim Oceânico são: 863, 301/302, 565 e 548INT3.


Outra referência importante é que a praia fica embaixo do Viaduto do Joá. Portanto, existem vagas de carro na região, principalmente na Avenida do Pepê - Orla da Barra próxima ao quebra-mar -, mas é necessário chegar cedo para conseguir um espaço, especialmente nos finais de semana.


bottom of page