Rússia matou 3.9 milhões de ucranianos de fome


Vítima do Holodomor (genocício ucraniano) em Carcóvia, na Ucrânia soviética, 1932. Foto de Alexander Wiernerberger

Tirando o acidente na Usina Nuclear de Chernobil em 1986, o Ocidente pouco sabe sobre o passado conflituoso entre a nação hoje comandada pelo presidente Wladimir Putin e a Ucrânia. A invasão russa sob solo ucraniano deflagrada no dia 2 de fevereiro nos remete a outros períodos amargos que não foram tão divulgados no mundo mas que deixaram um saldo devastador de quase 4 milhões de mortes , praticamente dois terços dos 6 milhões de judeus mortos no holocausto na Segunda Guerra Mundial. Estamos falando do que ficou conhecido como Holodomor, o genocídio urcraniano que levou milhões de pessoas a morrer de fome, como mostra a foto da coluna, registrada pelo fotógrafo Alexander Wiernerberger, numa rua de Carcóvia em 1932.




Como tudo começou com as “fazendas coletivas”


Tudo começou com a industrialização soviética a partir do final dos anos 1920, o que levou a produção industrial da Ucrânia a quadruplicar nos anos 1930. No entanto esse processo impôs um custo elevado ao campesinato, demograficamente a espinha dorsal da nação ucraniana. Para atender a necessidade de maiores suprimentos de alimentos e para financiar a industrialização, Josef Stálin e Lazar Kaganovitch estabeleceram a ferro e fogo um programa de coletivização da agricultura pelo qual o Estado combinava as terras e rebanhos dos camponeses em fazendas coletivas.


O processo era garantido pela atuação dos militares e da polícia secreta: os que resistiam eram presos e deportados. Os camponeses viam-se obrigados a lidar com os efeitos devastadores da coletivização sobre a produtividade agrícola e as exigências de quotas de produção ampliadas. Tendo em vista que os integrantes das fazendas coletivas não estavam autorizados a receber grãos até completaram as suas impossíveis quotas de produção, a fome tornou-se generalizada. Este processo histórico ficou conhecido como Holodomor (ou Genocídio Ucraniano) e levou milhões de pessoas a morrerem de fome.



Na mesma época, os soviéticos acusaram a elite política e cultural ucraniana de "desvios nacionalistas", quando as políticas de nacionalidades foram revertidas no início dos anos 1930. Pra se ter uma ideia, duas ondas de expurgos (1929-1934 e 1936-1938) resultaram na eliminação de quatro-quintos da elite cultural da Ucrânia.

Ou seja, a Rússia nunca deu trégua à Ucrânia. Depois de matar 3.900 ucranianos de fome entre 1931 e 32 devido a esse regime completamente maluco onde as fazendas coletivas tinham que atender ao estado comunista do ditador Josef Stalin, vem agora novamente a Rússia devastar o solo e os civis ucranianos, de forma insana e cruel como todas as guerras. Louco esse Putin.


29 visualizações