Repórter que apresentou JN é demitida após denunciar assédio, diz colunista


A jornalista Ellen Ferreira, que apresentou o Jornal Nacional durante um rodízio de apresentadores para comemorar os 50 anos da atração, foi demitida da afiliada da Globo em Roraima após denunciar um diretor por assédio sexual. As informações foram divulgadas nesta quinta-feira (23) por Leo Dias, do Metrópoles.


Em entrevista, a repórter afirmou que a direção disse que o desligamento dela foi motivado porque a empresa está passando por uma reestruturação. Entretanto, segundo ela, o real motivo da demissão foi a denúncia contra o diretor Edison Castro. 


"Ele é um psicopata que já havia passado pelas redações de Goiás, Maranhão e Tocantins. Homofóbico, racista, gordofóbico. Praticava assédio moral e sexual, deixou toda a equipe doente. Uma moça da TV Anhanguera [Goiás] chegou a tentar se matar por causa dele”, declarou Ellen. 


Ainda de acordo com a jornalista, ela também era atacada por Edison constantemente. "“Ele dizia que eu era repugnante, gorda, que me vestia mal. Me ameaçava de demissão. A fama dele era de o João de Deus da redação. Havia gente que desejava bater nele”, revela. 


Em nota, a Globo falou sobre o caso e afirmou que as afiliadas são empresas independentes. "As afiliadas da Globo comungam dos mesmos princípios editoriais mas são empresas independentes. O diretor de jornalismo da Globo, Ali Kamel, ao receber email da jornalista Ellen Ferreira, entrou imediatamente em contato com o setor de afiliadas para que a queixa fosse transmitida à Rede Amazônica. A Globo reitera que o respeito é um valor fundamental do seu Código de Ética. A empresa repudia qualquer tipo de assédio ou preconceito, que não são tolerados no ambiente de trabalho em nenhuma hipótese. Os esclarecimentos sobre o que ocorreu depois devem ser dados pela afiliada".

Fonte: O Dia

Navegue pela web
logo real certo.png
  • Facebook - círculo cinza
  • Twitter - círculo cinza
  • YouTube - círculo cinza
  • Grey Instagram Ícone