Buscar

Imperdível! Rio tem Bienal de Música Brasileira Contemporânea a preços populares

Evento vai até o dia 24, com obras de 74 compositores...

VEJA A PROGRAMAÇÃO ABAIXO


Uma série de concertos musicais a preços populares começa neste sábado (13) no Rio. É uma oportunidade para o público se reencontrar com a cultura, após mais de um ano e meio afastado das salas de espetáculos, por causa da pandemia de covid-19. A 24ª Bienal de Música Brasileira segue até o dia 24 de novembro, com realização da Fundação Nacional de Artes (Funarte), da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) e o Sistema Nacional de Orquestras Sociais (Sinos).


O público poderá conhecer obras de 74 compositores, de 12 unidades da Federação, em 11 concertos, com ingressos a R$ 10. A abertura, com a Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro (OSJRJ), será hoje, às 19h, na Sala Cecília Meireles, na Lapa.


Haverá quatro apresentações de música de câmara: no dia 14, domingo, às 17h; nos dias 16 e 17, terça e quarta-feira, às 19h; e no dia 24, quarta, no mesmo horário. Uma série de audições de música eletroacústica e mista será apresentada no dia 16, às 16h. Serão realizados seis concertos com orquestras, nos dias 13, 15, 18, 19, 20 e 21, cada um com um conjunto.


A OSJRJ, responsável pelo concerto de abertura, integra o grupo Ação Social pela Música do Brasil. A regência será do compositor Guilherme Bernstein – com a execução de uma obra sua. A participação dessa orquestra tem por objetivo aproximar os jovens do universo dos projetos sociais ligados à música e, ao mesmo tempo, divulgar na Bienal essa atividade musical importante – realizada fora dos meios acadêmicos.



Também virá de São Paulo a eclética orquestra Câmaranóva, liderada pelo compositor Felipe Senna. Ela se apresenta no dia 15, às 17h. Os concertos finais serão realizados pela Orquestra Sinfônica de Barra Mansa – OSBM, em sua primeira participação em bienais, no dia 18, às 19h, sob a regência de Anderson Alves; Orquestra Sinfônica da UFRJ, dia 19, às 19h, com regência de Thiago Santos; Orquestra Petrobras Sinfônica (OPES), dia 20, às 19h, regência de Felipe Prazeres, e Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense (OSN), dia 21, às 17h, regência de Roberto Duarte.


A compra dos ingressos estão disponíveis na página da Sala Cecília Meireles na internet.


VEJA A PROGRAMAÇÃO ABAIXO:



Concerto 1 – Dia: 13/11/2021 (SÁBADO), às 19h


-Eduardo Frigatti – Três canções do Sul do Brasil (2021 – estreia)

-Guilherme Bernstein – Concertino para oboé (2021 – estreia) Juliana Bravim (oboé)

-Raul do Valle – Primavera para cordas (2007)

-Ivan Paparguerius – Concertino para violão (2021 – estreia) Ivan Paparguerius (violão)

-Ernani Aguiar – Instantes nº 6 “Esqerzo” para cordas (2021 – estreia)

Orquestra Sinfônica Jovem do Rio de Janeiro Regência: Guilherme Bernstein




Concerto 2 – Dia: 14/11/2021 (DOMINGO), às 17h

-Guilherme Bauer (1940) – Três peças saxofônicas (2017 – estreia) Pedro Bittencourt (saxofone)

-Vinícius S. Baldaia – Miragens em Penumbra para flauta, clarinete, contrabaixo e piano (2021 – estreia) Cron Ensemble Rubem Schuenck (flauta), Vicente Alexim (clarineta e clarone), Cláudio Alves (contrabaixo) e Tatiana Dumas (piano)

-Bruno Cunha – Contrapponto Dialettico Abaporu para flauta e piccolo, clarinete baixo, trompete, violino, violoncelo, contrabaixo e percussão (2019 – estreia no Brasil) Cron Ensemble Rubem Schuenck (flauta), Vicente Alexim (clarineta e clarone), David Alves (trompete), Ricardo Amado (violino), Janaína Salles (violoncelo), Cláudio Alves (contrabaixo), Tatiana Dumas (piano), Pedro Moita (percussão), Regência: Marcos Nogueira

-James Correa – Earth Canticles para violoncelo e piano (2018 – estreia no Brasil) Janaína Salles (violoncelo) e Tatiana Dumas (piano)

-Tim Rescala (1961) – Parescências para viola e piano (2021 – estreia) Dhyan Toffolo (viola) e Erika Ribeiro (piano)

-Maria Di Cavalcanti – Fragmente op.13 para flauta, sax alto e violoncelo (2021) Interbrasilis Trio Wladyslaw Kreinski (flauta), Jonatas Weima (sax alto) e Glenda Carvalho (violoncelo)

-Helder Oliveira – Logging para quarteto de trompas (2021 – estreia) Tiago Carneiro, Giliéder Veríssimo, Mateus Lisboa e Phillip Doyle (trompas)

– Paulo Rios Filho – Contração e expansão para quinteto de metais (2019) Ezequiel Freire e David Alves (trompetes), Philip Doyle (trompa), Everson Moraes (trombone) e Carlos Vega (tuba)

Concerto 3 – Dia: 15/11/2021 (SEGUNDA-FEIRA), às 17h

-Gabrielle Camarana – Átimo para flauta solo (2020/21 – estreia) Renan Dias Mendes (flauta)

-Eduardo Seincman – Solitude para clarone solo (2021 – estreia) Anderson Menezes (clarone)

-Paulo Costa Lima – Gota serena para flauta, clarineta e piano (2021 – estreia) Renan Dias Mendes (flauta), Camila Barrientos (clarineta) e Felipe Senna (piano)

-Eduardo Hiroshi – Pedras matemáticas e alguns módulos para violoncelo solo (2019) Rodrigo Prado (violoncelo)

-Andrey Cruz – Pi para fagote solo (2021) Erick Ariga (fagote)

-Pauxy Gentil-Nunes – Três miniaturas para 2 violinos e viola (2019) Eder Grangeiro e Helena Piccazio (violinos) e Tiago Vieira (viola)

-Felipe Senna – Fankaisie para tuba e orquestra de câmara (2019 – estreia) Luiz Serralheiro (tuba)

-Léa Freire – Turbulenta para orquestra de câmara (2017) Léa Freire (flauta) Câmaranóva – orquestra de câmara Direção: Felipe Senna


Concerto 5 – Dia: 16/11/2021 (TERÇA-FEIRA), às 19h

-Rodrigo Cicchelli – Litanias I a IX para piano solo (2021 – estreia) Giulio Draghi (piano)

-Luiz Eduardo Castelões – 6 Temas Pop para piano solo (2020 – estreia no Brasil) Ingrid Barancoski (piano)

-Marisa Rezende – Miragem para piano solo (2009) Marina Spoladore (piano)

-Estevão Dottori – Noturno Caravaggio para piano solo (2021 – estreia) Cristiano Vogas (piano)

-Edino Krieger – Chacona ao luar (Mondschein Chaconne) para piano solo (2017) Marina Spoladore (piano)

-Maria Helena Rosas Fernandes – Dualismo II para dois pianos (2010 – estreia) Marina Spoladore e Cristiano Vogas (pianos)

-Maurício Dottori – The Crystal Cabinet, 6 miniaturas para viola e piano (2021 – estreia) Duo Burajiru Fernando Thebaldi (viola) e Yuka Shimizu (piano)


Concerto 6 – Dia: 17/11/2021 (QUARTA-FEIRA), às 19h

-Ricardo Tacuchian – Sálvia para harpa solo (2021 – estreia) Vanja Ferreira (harpa)

-Harry Crowl – Sonata Fantástica para violão (2021 – estreia) Celso Faria (violão)

-Márcio Guelber – Paisagens possíveis para violão de sete cordas (2021 – estreia presencial) Márcio Guelber (violão de sete cordas)

-Daniel Ganc – Frenesi – dois momentos para violão solo (2021 – estreia) Fábio Adour (violão)

-Lucca Totti – Pedra e seca às vezes raízes para violão solo (2020) Mário Silva (violão)

-Roberto Victório – D’Jar para dois violões (2017 – estreia) Fábio Adour e Mário Silva (violões)

-Mário Ferraro – Sobre aquele velho carvalho à beira da estrada para dois violões e quarteto de cordas (2017 – estreia no Brasil) Fábio Adour e Mário Silva (violões) Quarteto Suassuna Andreia Carizzi e Luiz Felipe Ferreira (violinos), Samuel Passos (viola) e Glenda Carvalho (violoncelo)

-Caio Facó – Strata para quarteto de cordas (2021 – estreia) Quarteto Suassuna

-Gabriel Araújo – Close to me (2018) para vibrafones Tiago Calderano e Pedro Moita (vibrafones)

-Willian Billi – Divagações Paulistanas – Uma jornada afetiva pelas 7 “Paulistanas” de Claudio Santoro para vibrafone, piano e quarteto de cordas (2018) Tiago Calderano (vibrafone), Maria Di Cavalcanti (piano) e Quarteto Suassuna


Concerto 7 – Dia: 18/11/2021 (QUINTA-FEIRA), às 19h

-Alexandre Schubert – Concerto para flautim e cordas (2019) Thaís Bacellar (flautim)

-Emanuel Ferreira – Noturna nº 1 (2019 – estreia)

-Wellington Gomes – Lampejos nostálgicos para oboé e cordas (2017) Thiago Neves (oboé)

-Marco Feitosa – O sertão de ser tão só (2017 – estreia)

-Luigi Antonio Irlandini – Axis Mundi para cordas (2021 – estreia)

Orquestra Sinfônica de Barra Mansa Regência: Anderson Alves


Concerto 8 – Dia: 19/11/2021 (SEXTA-FEIRA), às 19h

-Marcelo Carneiro – Três canções para violoncelo solo (2021 – estreia) Hugo Pilger (violoncelo)

-Henrique David Korenchendler – Kaddish para cordas (3ª versão)

-Ernst Mahle – Concerto para dois violoncelos e cordas (2020 – estreia) Hugo Pilger e Alceu Reis (violoncelos)

-Dimitri Cervo – Concerto para harmônica e cordas – Série Brasil 2010 nº 11 (estreia) José Staneck (harmônica)

-Nestor de Hollanda – Guarda do Farol para harmônica e cordas (2021 – estreia) José Staneck (harmônica)

-Ronaldo Miranda – Suíte Lírica para cordas (2017)

Orquestra Sinfônica da Universidade Federal do Rio de Janeiro (UFRJ) Regência: Thiago Santos


Concerto 9 – Dia: 20/11/2021 (SÁBADO), às 19h

-Marcos Nogueira – A lírica de Píndaro – Concertino para piano e orquestra de câmara (2019 – estreia) Midori Maeshiro (piano)

-Felipe Portinho – Concertino para viola, cordas e percussão (2019 – estreia) Samuel Passos (viola)

-Eduardo Biato – Suíte para violino e cordas (2020 – estreia) Priscila Rato (violino)

-Rodolfo Coelho de Souza – Intermitências (2019 – estreia)

-Marlos Nobre – Intrata e Tango op.129 (2021 – estreia)

Orquestra Petrobras Sinfônica Regência: Felipe Prazeres


Concerto 10 – Dia: 21/11/2021 (DOMINGO), às 17h

-Rodrigo Camargo – Três peças para dois violinos (2021 – estreia) Tomaz Soares e Luísa de Castro (violinos)

-Eli-Eri Moura – Tablero para cordas (2020 – estreia)

-Marcelo Bellini Dino – (In)Tolerâncias para cordas (2017 – estreia)

-Cyro Delvizio – Divagações intervalares para piano e cordas (2018 – estreia) Tamara Ujakova (piano)

-Fernando Cerqueira – Antigas Rotas II – Interlúdio para trombone e cordas (2017/21 – estreia) João Luiz Areias (trombone)

-João Guilherme Ripper – Concerto a cinco nº 2 (2020 – estreia) Quarteto de cordas da UFF Tomaz Soares e Ubiratan Rodrigues (violinos), Clara Santos (viola) e Glenda Carvalho (violoncelo) Rodrigo Favaro (contrabaixo)

Orquestra Sinfônica Nacional da Universidade Federal Fluminense (UFF) Regência: Roberto Duarte


Concerto 11 – Dia: 24/11/2021 (QUARTA-FEIRA), às 19h

-Igor Maia – Permutações Sonoras para violino, violoncelo e piano (2019) Carla Rincón (violino), Janaína Salles (violoncelo) e Josiane Kevorkian (piano)

-Lauro Pecktor – Miniatures to Ms. A. para violino, violoncelo e piano (2019 – estreia no Brasil) Carla Rincón (violino), Janaína Salles (violoncelo) e Josiane Kevorkian (piano)

-Yugo Sano Mani – Luzes em desassossego para clarineta, violino, violoncelo e piano (2019) Victor Hugo Rego (clarineta), Carla Rincón (violino), Janaína Salles (violoncelo) e Josiane Kevorkian (piano)

-Gustavo Cardoso Bonin – Eternidade para flauta, oboé e sax alto (2020 – estreia) Andréa Ernest Dias (flauta), Thiago Neves (oboé) e Jonatas Weima (saxofone)

10 visualizações
 

Mais Notícias