google-site-verification=lbjueM2tO1RF8DU_YVArfBjlwLINtJ5N-0i3bpcVFVo
top of page
Post: Blog2_Post

Túmulo de "vampiros" decapitados é encontrado em escavação na Polônia

Atualizado: 14 de jul. de 2023

Segundo crenças do século XIX, a decapitação era uma maneira de impedir que uma pessoa morta voltasse à vida como um vampiro


Um cemitério encontrado na cidade polonesa de Luzino revelou uma prática bizarra do século XIX. Os mais de 450 corpos encontrados no local, situado próximo à uma igreja, estavam decapitados e foram enterrados com itens "anti-vampiros".


O túmulo foi encontrado por trabalhadores que estavam alargando uma das ruas da cidade. No local, existia uma antigo cemitério construído no século 18, mas extinto em 1945, quando a igreja foi expandida e o local em que os mortos residem foi levado para outra região. À época, de acordo com a imprensa polanesa, os restos mortais enterrados ali foram levados junto com a mudança, no entanto, os corpos dos supostos vampiros permaneceram enterrados.


A escavação encontrou mais de 450 corpos, todos decapitados e que aparentavam ter sido exumados e enterrados uma segunda vez. No século XIX, muitos tinham medo da "maldição dos vampiros", em que os mortos voltavam a vida após a serem enterrados. A única maneira de impedir a ressuscitação de seres sedentos por sangue, segundo as crenças, era decapitar os corpos. Na Polônia, de acordo com o arqueólogo Maciej Stromski, a desconfiança sobre vampiros ocorria quando uma pessoa da família de alguém que acabou de morrer adoecia e entrava em estado terminal.



"Acreditava-se que se um membro da família da pessoa morta estivesse morrendo logo após o funeral, ele ou ela poderia ser um vampiro. Portanto, após o enterro, a sepultura era desenterrada e a cabeça do falecido cortada e colocada entre as pernas", explicou Maciej Stromski, um dos arqueólogos responsáveis pela escavação, ao portal polonês Nadmorski24.pl.


Além da cabeça decapitada, foram encontradas, entre as pernas do suposto "vampiro", uma moeda dentro da boca. Segundo a crença polonesa, os círculos de metal serviriam para selar a alma da pessoa e garantir um recurso financeiro para ela viajar "pela vida" após a morte. Tijolos também foram encontrados próximos a alguns corpos.

bottom of page