google-site-verification=lbjueM2tO1RF8DU_YVArfBjlwLINtJ5N-0i3bpcVFVo
top of page
Post: Blog2_Post

INGÁ começa colher frutos do projeto de revitalização do Complexo Lagunar de Jacarepaguá

Uma espécie de ave típica de regiões dos manguezais voltou a povoar o Complexo Lagunar de Jacarepaguá, o Colhereiro



O biólogo Mário Moscatelli fez o registro de uma espécie de ave típica de regiões dos manguezais que voltou a povoar o Complexo Lagunar de Jacarepaguá, o Colhereiro. O encontro aconteceu na Lagoa da Tijuca com a Lagoa do Camorim, e evidencia os primeiros resultados do trabalho de revitalização das lagoas da região, iniciado pela concessionária de saneamento Iguá desde o princípio da operação, que, em fevereiro de 2023, completou 1 ano.

A presença de certas espécies de aves circulando com maior frequência atualmente na região é um indicativo de que os animais estão encontrando condições mais adequadas de sobrevivência, uma vez que tipos de aves como o Colhereiro não conseguem viver e procriar em áreas muito poluídas.



Além das mais de 170 toneladas de resíduos já retiradas das lagoas como parte dos das primeiras ações de um conjunto de investimentos, o projeto de recuperação do Complexo Lagunar de Jacarepaguá posto em prática pela Iguá prevê ainda o plantio de mais de 40 mil mudas de mangue nativo e a implantação de um cinturão de coletores de tempo seco no entorno, que permitirá diminuir consideravelmente o volume de esgoto despejado nas lagoas. A reativação de apenas um desses equipamentos já evita o despejo de 2 piscinas olímpicas de esgoto por semana no Canal das Taxas. O investimento total no Complexo Lagunar de Jacarepaguá será da ordem de R$ 250 milhões.



bottom of page