anuncio cabeçario site.png
Buscar

CARNAVAL 22

A maldição dos desfiles que homenageiam celebridades


Dizem as más línguas que pelo histórico, existe uma maldição sobre as escolas de samba que homenageiam celebridades em seus desfiles no Rio de Janeiro. Esse ano não foi diferente. A São Clemente, na carona da comoção popular que cercou a morte do ator Paulo Gustavo no ano passado, elegeu o tema-enredo que contava a história do artista. Mas o desfile foi apontado como um desastre em função de uma série de erros e a escola acabou rebaixada para a série Ouro.


Em 2004 o mesmo aconteceu com a Caprichosos de Pilares que também decidiu homenagear outra celebridade, desta vez a rainha dos baixinhos Xuxa . Não teve sorte. Ficou em penúltimo lugar. A Tradição também foi outra escola a sofrer com a chamada maldição das homenagens à celebridades. Primeiro foi com o desfile contando a história de vida de Silvio Santos. Os jurados esperavam mais e não foi o que eles viram. A escola despencou para um triste oitavo lugar. Dois anos depois ainda insistiu nessa mesma linha ao homenagear Ronaldo Fenômeno. Aí foi que caiu mesmo, como folha seca: 13º lugar.


Intolerância Religiosa



Mas o que o Barão mais ouviu nos comentários sobre esse carnaval fora de época foi a predominância de temas-enredo abordando uma questão que vem crescendo a cada ano, principalmente quando alas associadas ao tráfico estreitaram relações com os ditos evangélicos: a intolerância religiosa. Houve praticamente uma guerra de comentários nas redes sociais. Muitos contra a exibição de entidades pertencentes ao universo que permeia as tradições africanas como Exu, celebrado na avenida pela campeoníssima Grande Rio.


TV Record bloqueia noticiário sobre carnaval do Rio


E foi exatamente na contramão da tradição cristã, que prega em seus cultos a fraternidade e a igualdade entre todos, que a TV Record bloqueou o noticiário sobre o carnaval. Tudo isso porque a escola vencedora ganhou o desfile com um tema de matriz africana. São as contradições da vida. Jesus Cristo, esteja aonde estiver, deve estar decepcionado sobre o que se fala em nome d’Ele.


O Rio de Janeiro continua lindo...


A situação no Rio tá tão bizarra que, dia desses, deu na TV que traficantes de Vigário Geral, bairro da zona norte da cidade, expulsaram com rajadas de metralhadoras assaltantes de carro nas imediações dos seus “negócios”. Polícia para quê? Tá tudo dominado!



Enquanto isso, Ipanema, na zona sul, um dos bairros mais chiques da ex-propagada Cidade Maravilhosa, recebe em seus milionários metros quadrados uma creperia bem ousada: a La Putaria. Lá você encontrará doces em formatos nada convencionais como o da genitália com recheio de caldas, entre outras sugestivas ofertas. A loja já tinha pontos em Lisboa e Belo Horizonte, terra de seus proprietários.